1 Samuel 15

1Samuel foi dizer a Saul: «O SENHOR enviou-me para te consagrar rei de Israel, seu povo. Ouve, pois, com atenção o que o SENHOR dos exércitos de Israel te manda dizer: 2“Vou castigar os amalecitas por aquilo que fizeram antigamente a Israel, quando lhes fecharam o caminho, ao saírem do Egipto.” 3Vai combatê-los e destrói completamente tudo quanto possuem. Mata homens e mulheres, crianças e meninos de peito, touros e ovelhas, camelos e burros.» 4Saul mandou convocar os homens que podiam fazer parte do exército e passou-lhes revista em Telaim. Eram duzentos mil homens de infantaria e mais dez mil homens de Judá. 5Depois avançaram para a cidade dos amalecitas e esconderam-se no vale por onde passava o rio. 6Então Saul disse aos quenitas: «Vão-se embora! Afastem-se dos amalecitas, para não serem castigados juntamente com eles, porque se portaram bem com os israelitas, quando eles saíram do Egipto.» E os quenitas afastaram-se dos amalecitas. 7Então Saul derrotou os amalecitas, perseguindo-os desde Havilá até à entrada de Chur, na fronteira com o Egipto. 8Apanhou o rei Agag, fê-lo prisioneiro, e passou ao fio da espada todo o seu exército. 9Mas Saul e os seus soldados pouparam a vida de Agag e não mataram as melhores ovelhas, nem os melhores touros, nem os bezerros e os cordeiros mais gordos. Não destruíram as coisas de valor, mas apenas as que não tinham grande importância. 10Disse então o SENHOR a Samuel: 11«Lamento ter consagrado Saul como rei, porque se afastou de mim e desobedeceu às minhas ordens.» Samuel ficou perturbado e passou toda a noite a implorar ao SENHOR. 12De manhã cedo, levantou-se para ir ter com Saul, mas avisaram-no que Saul tinha ido para o Carmelo e que levantara aí um monumento à sua própria pessoa, tendo depois descido para Guilgal. 13Samuel foi então ao encontro de Saul e este disse-lhe: «O SENHOR esteja contigo! Já cumpri a ordem do SENHOR.» 14Samuel perguntou-lhe: «Que querem dizer, então, estes balidos de ovelhas e estes mugidos de vacas que estou a ouvir?» 15Saul respondeu-lhe: «Foram os meus soldados que apanharam estes animais aos amalecitas. Guardaram as melhores ovelhas e bois, para os oferecerem em sacrifício ao SENHOR, teu Deus, tendo destruído tudo o resto.» 16Samuel interrompeu-o para lhe dizer: «Basta! Vou comunicar-te o que o SENHOR me disse esta noite.» Então Saul pediu-lhe que falasse. 17E Samuel disse: «Não te consideravas uma pessoa sem importância? Mas a verdade é que chegaste a ser o chefe das tribos de Israel, pois que o SENHOR te consagrou como rei. 18Se o SENHOR te enviou e te pediu para destruíres esses malvados amalecitas, de modo a exterminá-los completamente, 19por que desobedeceste às suas ordens, ficando com os despojos?» 20Saul respondeu-lhe: «Mas eu obedeci às ordens do SENHOR e cumpri a missão que me confiou: trouxe Agag como prisioneiro e matei todos os amalecitas. 21Os soldados é que ficaram com as melhores ovelhas e vacas, que estavam destinadas à destruição, mas apenas para serem oferecidas em sacrifício ao SENHOR, teu Deus, em Guilgal.» 22Então Samuel perguntou-lhe: «O que é que o SENHOR prefere: os sacrifícios ou a obediência à sua vontade? Mais vale obedecer-lhe do que sacrificar-lhe os melhores carneiros. 23Tanto peca o que se revolta contra ele como o que pratica a adivinhação; tanto peca o arrogante como o que adora os ídolos. Uma vez que rejeitaste a ordem do SENHOR, também ele te rejeitou como rei.» 24Saul disse então a Samuel: «Sim, pequei, porque não fiz caso da ordem do SENHOR e das tuas instruções. Tive medo da reacção dos meus homens e fiz o que eles pediam. 25Mas agora, por favor, perdoa o meu pecado e regressa comigo para Guilgal, para eu adorar o SENHOR.» 26Samuel respondeu-lhe: «Não irei contigo. Uma vez que rejeitaste a ordem do SENHOR, também ele te rejeitou como rei de Israel.» 27Samuel voltou-se para se ir embora, mas Saul agarrou-o pela borda do manto, que se rasgou. 28Perante isto Samuel disse: «Da mesma maneira o SENHOR te tirou hoje o reinado de Israel, para o entregar a um outro melhor que tu. 29O Deus glorioso de Israel não mente nem volta atrás com a sua palavra, pois não muda de ideias como fazem os homens.» 30«Eu pequei» — insistiu Saul. «Mas peço-te que continues a respeitar-me como rei na presença dos anciãos de Israel e de todo o povo. Vem comigo adorar o SENHOR, teu Deus.» 31Samuel foi com Saul e, assim, Saul pôde adorar o SENHOR. 32Imediatamente Samuel ordenou: «Tragam-me Agag, rei de Amalec.» Agag apresentou-se tranquilo diante de Samuel, pensando que o perigo de morte já tinha passado. 33Mas Samuel disse-lhe: «Assim como a tua espada deixou muitas mulheres sem filhos, também agora a tua mãe ficará sem ti.» Imediatamente Samuel o executou diante do SENHOR, em Guilgal. 34Samuel seguiu depois para Ramá e Saul foi para sua casa, em Guibeá. 35E Samuel, durante toda a sua vida, nunca mais voltou a ver Saul. Mas Samuel lamentava o que tinha acontecido a Saul, uma vez que o SENHOR o tirou do lugar de rei de Israel.

will be added

X\