1 Reis 9

1Quando Salomão acabou de edificar o templo do SENHOR, o palácio real e tudo quanto se propusera fazer, 2o SENHOR apareceu-lhe pela segunda vez, como lhe tinha aparecido em Guibeon, 3e disse-lhe: «Ouvi a oração suplicante que me dirigiste e consagrei este templo que tu edificaste para dele fazer o meu santuário para sempre. Todos os dias, terei postos nele os meus olhos e o meu coração. 4Se tu me servires com toda a honestidade, como fez David, teu pai, obedecendo às minhas leis e cumprindo tudo o que te ordenei, 5estabelecerei para sempre o teu reinado em Israel, como prometi a David, teu pai, quando lhe disse que nunca faltaria um descendente seu no trono de Israel. 6Porém se tu e o teu povo ou os vossos descendentes se desviarem de mim e não cumprirem os mandamentos e as leis que vos dei e se inclinarem diante doutros deuses para os adorarem, 7então retirarei o meu povo de Israel da terra que lhe dei, abandonarei o templo que consagrei como meu santuário e Israel será motivo de sarcasmo e de troça para todos os povos. 8Este templo será transformado num montão de ruínas e todo aquele que por aqui passar ficará surpreendido e perguntará admirado: “Por que é que o SENHOR fez isto a esta terra e a este templo?” 9E hão-de receber a resposta: “Foi porque abandonaram o SENHOR, seu Deus, que tirou do Egipto os seus antepassados, e porque se apegaram a outros deuses e se inclinaram diante deles para os adorarem e servirem. Foi por isso que o SENHOR lhes enviou todos estes males.”» 10Salomão levou vinte anos a construir os dois edifícios: o templo do SENHOR e o palácio real. 11Hiram, rei de Tiro, tinha-lhe fornecido as madeiras de cedro e de cipreste e todo o ouro que ele quis para a sua obra. E Salomão, por sua vez, entregou ao rei Hiram vinte cidades da região da Galileia. 12Hiram foi vê-las, mas não gostou delas, 13e disse a Salomão: «Estas cidades, meu irmão, não valem nada! Por essa razão aquela área ainda hoje é designada por “Terra de Cabul”.» 14Hiram tinha enviado a Salomão mais de quatro toneladas de ouro. 15Aconteceu que Salomão organizou trabalhos obrigatórios para a construção do templo do SENHOR, do palácio real, da terraplenagem de Milo e das muralhas de Jerusalém, além das cidades de Haçor, Meguido e Guézer. 16O faraó, rei do Egipto, tinha atacado Guézer, matando todos os seus habitantes e pondo fogo à cidade. Depois deu-a como dote a sua filha, quando ela se casou com Salomão. 17O rei Salomão reconstruiu então Guézer, Bet-Horon-de-Baixo, 18Baalat, Tamar, no deserto de Judá, 19e todas as cidades onde armazenava mantimentos, e outras onde recolhia os carros e os cavalos, e tudo o mais que Salomão quis construir em Jerusalém, no Líbano e em todo o território sob o seu domínio. 20Todos os amorreus, hititas, perizeus, heveus e jebuseus, que não pertenciam ao povo de Israel, 21isto é, os descendentes que ficaram daqueles povos, no país que os israelitas não destruíram totalmente, foram utilizados por Salomão como mão-de-obra obrigatória para trabalhos pesados, como ainda hoje acontece. 22Mas não obrigou nenhum israelita a trabalhar como escravo; os israelitas serviam como soldados, oficiais, comandantes, capitães de carros de combate e cavaleiros do rei. 23Havia quinhentos e cinquenta inspectores dos trabalhos de Salomão, encarregados de vigiar os operários. 24Depois da filha do faraó, mulher de Salomão, se ter mudado da cidade de David para o palácio que Salomão tinha construído para ela, é que ele mandou proceder à terraplenagem de Milo. 25Salomão oferecia, três vezes por ano, holocaustos e sacrifícios de reconciliação sobre o altar que ele construiu para o SENHOR e queimava incenso diante do SENHOR. Assim terminou ele a construção do templo. 26O rei Salomão construiu também navios em Ecion-Guéber, perto de Elat, um porto do Mar Vermelho, no território de Edom. 27O rei Hiram enviou a Salomão marinheiros fenícios experimentados, para acompanharem os de Salomão. 28Assim navegaram até Ofir, donde levaram a Salomão mais de catorze toneladas de ouro.

will be added

X\