1 Reis 5

1Salomão dominava sobre todos os reinos, desde o rio Eufrates até à terra dos filisteus e até à fronteira do Egipto; todos eles pagavam tributo a Salomão e lhe ficaram sujeitos até ao fim da sua vida. 2As provisões para a mesa de Salomão eram diariamente de cerca de seis mil e seiscentos quilos de flor de farinha e treze mil e duzentos quilos de farinha, 3dez bois gordos e vinte de pasto, cem carneiros, além de veados, gazelas, gamos e aves de capoeira. 4Salomão dominava sobre toda a região a oeste do rio Eufrates, desde Tifsa até Gaza, e sobre todos os reis dessa região e vivia em paz com todos os povos vizinhos. 5Os habitantes de Judá e de Israel, dum extremo ao outro dos seus territórios, viveram em segurança enquanto Salomão foi vivo, cuidando cada qual da sua videira e da sua figueira. 6Salomão tinha quarenta mil manjedouras para os cavalos dos seus carros e doze mil cavalos de sela. 7Os doze intendentes do rei forneciam todas as provisões necessárias a Salomão e aos seus convidados; cada um deles era responsável pelas provisões de um mês em cada ano, procurando que nunca faltasse nada. 8E levavam também, aonde fosse preciso, cevada e palha para os cavalos e os animais de tiro. 9Deus concedeu a Salomão sabedoria, uma grande inteligência e uma compreensão tão profunda como as areias nas praias do mar. 10Salomão ultrapassou em sabedoria todos os sábios do Oriente e todos os sábios do Egipto. 11Era o mais sábio de todos os homens. Mais sábio do que Etan, o ezraíta, e do que Heman, Calcol e Darda, filhos de Maol; e a sua fama espalhou-se por todos os povos vizinhos. 12Pronunciou três mil provérbios e compôs mil e cinco poemas. 13Dissertou sobre as árvores, desde o cedro do Líbano até ao hissopo que cresce nos muros; dissertou também sobre os animais, as aves, os répteis e os peixes. 14De todos os países vinham pessoas ouvir a sabedoria de Salomão; vinham da parte de todos os reis da terra que tinham ouvido falar da sua sabedoria. 15Quando Hiram, o rei da cidade de Tiro, ouviu que Salomão tinha sido consagrado rei em lugar de David, seu pai, enviou-lhe os seus embaixadores, pois Hiram sempre fora amigo de David. 16Salomão mandou então dizer ao rei Hiram: 17«David, meu pai, como sabes, não pôde construir um templo consagrado ao SENHOR, seu Deus, porque os seus inimigos não cessavam de o atacar; finalmente, o SENHOR colocou os seus inimigos debaixo dos seus pés. 18A mim porém o SENHOR, meu Deus, concedeu-me a paz por todo o lado e não tenho inimigos nem problemas graves. 19Por isso, decidi construir um templo consagrado ao SENHOR, meu Deus. O SENHOR disse, um dia, a David, meu pai: “O teu filho, que hei-de tornar teu sucessor, é que construirá um templo consagrado a mim.” 20Dá, por isso, ordens para que me cortem cedros do Líbano. Os meus servos ajudarão os teus e eu pagarei o que me pedires pelo salário dos teus servos, pois sabes muito bem que não há entre nós ninguém que saiba cortar madeira tão bem como os fenícios.» 21Quando o rei Hiram ouviu a mensagem de Salomão, ficou muito contente e exclamou: «Hoje dou graças ao SENHOR, porque ele deu a David um filho cheio de sabedoria, para governar aquela tão grande nação!» 22Em seguida enviou a seguinte resposta a Salomão: «Recebi a mensagem que me dirigiste. Estou pronto a fornecer-te toda a madeira de cedro e de cipreste que desejares. 23Os meus servos transportarão os troncos das montanhas do Líbano até à costa. Dali mandá-los-ei levar em jangadas pelo mar até ao lugar que me indicares. Lá serão descarregados os troncos e ali tu os mandarás buscar. Como pagamento, fornecerás as provisões necessárias para o meu palácio.» 24Assim Hiram deu a Salomão toda a madeira de cedro e de cipreste que ele quis. 25Por seu lado, Salomão passou a fornecer todos os anos a Hiram, para o seu palácio, seis mil toneladas de trigo e seis mil litros de azeite puro de oliveira. 26O SENHOR deu a Salomão a sabedoria que lhe tinha prometido. Salomão pôde assim viver em paz com Hiram, com quem fez uma aliança. 27O rei Salomão organizou trabalhos obrigatórios, para os quais mandou recrutar trinta mil israelitas. 28Todos os meses eram enviados para o Líbano dez mil homens; cada turno de dez mil ficava um mês no Líbano e dois meses em casa. O responsável pelos trabalhos obrigatórios era Adoniram. 29Salomão tinha, além desses, oitenta mil cortadores de pedra na montanha e setenta mil carregadores 30e ainda três mil e trezentos capatazes das obras que orientavam os trabalhadores. 31O rei ordenou que arrancassem e talhassem pedras grandes e boas para os alicerces do templo. 32Os operários de Salomão e de Hiram e outros vindos da cidade de Biblos, prepararam as madeiras e as pedras necessárias para a construção do templo.

will be added

X\