1 Reis 10

1A fama do rei Salomão, para honra do SENHOR, chegou à corte da rainha de Sabá. Por isso, ela foi vê-lo para o pôr à prova com perguntas difíceis. 2Foi a Jerusalém acompanhada por um grande séquito, com camelos carregados de perfumes, grande quantidade de ouro e pedras preciosas. Quando se encontrou com Salomão, expôs-lhe tudo o que tinha pensado. 3Salomão respondeu a todas as questões, sem deixar uma única a que não soubesse dar resposta. 4A rainha de Sabá, pôde apreciar a sabedoria de Salomão, o palácio que ele tinha construído, 5os manjares da sua mesa, o modo como os seus cortesãos ocupavam os seus lugares, a maneira de vestir dos seus empregados e dos que serviam à mesa, e pôde ver o rei a subir em procissão para o templo do SENHOR. Perante isto, ela ficou tão impressionada 6que disse ao rei: «É realmente verdade tudo o que eu tinha ouvido no meu país acerca de ti, a respeito das tuas obras e da tua sabedoria! 7Mas só agora é que eu posso acreditar, depois de ter vindo e de ter visto com os meus olhos. Não me tinham contado nem metade do que é a tua sabedoria e a tua prosperidade, pois é muito mais do que me tinham dito. 8Felizes os que vivem contigo e os que estão ao teu serviço, pois estão sempre junto de ti e ouvem as tuas palavras de sabedoria! 9Louvado seja o SENHOR, teu Deus, que te escolheu para subires ao trono de Israel! Foi pelo seu amor a Israel que o SENHOR te fez seu rei, para os governares com rectidão e justiça!» 10Ofereceu depois a Salomão cerca de três toneladas e meio de ouro, uma grande quantidade de perfumes e de pedras preciosas. Nunca a Israel tinha chegado uma tal quantidade de perfumes de presente, como a que a rainha de Sabá ofereceu ao rei Salomão. 11Os navios do rei Hiram, que transportavam ouro de Ofir, traziam também uma grande quantidade de madeiras exóticas e pedras preciosas. 12Com a madeira de sândalo fez Salomão varandins para o templo do SENHOR e para o palácio real e também harpas e liras para os músicos. Nunca até hoje se transportou tanta madeira daquela para Israel. 13Pela sua parte, o rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela quis, além do que ele pessoalmente lhe ofereceu. Depois disso, a rainha regressou ao seu país, acompanhada da sua comitiva. 14Todos os anos Salomão recebia quase vinte e três toneladas de ouro, 15sem contar com o tributo que recebia dos grandes e pequenos negociantes, dos reis da Arábia e de todos os governadores do país. 16O rei Salomão mandou fazer duzentos escudos grandes de ouro batido, empregando em cada um quase sete quilos de ouro, 17e trezentos escudos mais pequenos, empregando em cada um quase dois quilos de ouro batido, e depois mandou pô-los no salão chamado Floresta do Líbano. 18Mandou fazer também um grande trono de marfim, revestido de ouro fino. 19O trono tinha seis degraus; a parte superior do espaldar era arredondada; havia de cada lado do assento dois braços e junto dos braços dois leões de pé. 20Colocados nos degraus havia doze leões, seis de cada lado. Nunca se tinha feito obra semelhante em nenhum outro reino. 21Todas as taças do rei Salomão eram de ouro; todas as vasilhas do salão Floresta do Líbano eram de ouro puro. Não havia nada de prata, porque, no tempo de Salomão, a prata não tinha muito valor. 22O rei tinha no mar navios de longo curso que navegavam juntamente com os de Hiram. De três em três anos, a frota de Salomão regressava carregada de ouro, prata, marfim, macacos e pavões. 23O rei Salomão tinha mais riqueza e sabedoria do que qualquer outro rei da terra. 24Por isso, toda a gente procurava visitá-lo para escutar a sabedoria que Deus lhe tinha concedido. 25Cada ano lhe levavam presentes: objectos de prata e de ouro, capas, armas, substâncias aromáticas, cavalos e mulas. 26Salomão reuniu uma força de mil e quatrocentos carros e doze mil cavalos, que mantinha nas cidades onde guardava os carros de combate e em Jerusalém, junto dele. 27O rei fez com que em Jerusalém, a prata se tornasse tão comum como as pedras e que os cedros fossem tão numerosos como as figueiras bravas na planície da Chefela. 28Os cavalos de Salomão vinham do Egipto e da Cilícia; era uma caravana de mercadores do reino que lá ia comprá-los por um determinado preço. 29Um carro importado do Egipto valia seiscentas moedas de prata e um cavalo valia cento e cinquenta. Estes mesmos mercadores importavam também carros para todos os reis hititas e arameus.

will be added

X\