1 Coríntios 5

1Consta ter havido um caso de imoralidade no vosso meio. Imoralidade como essa não existe nem sequer entre os pagãos. Trata-se de alguém que tem por mulher a sua própria madrasta. 2O vosso orgulho pelo acontecido é desapropriado. Devem lamentar o facto e obrigar o que pratica tal acção a sair do vosso meio. 3Quanto a mim, que estou ausente mas presente em espírito, já dei a minha sentença, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sobre aquele que fez isso, como se eu aí estivesse: 4convoquem uma reunião; eu estarei aí em espírito e também estará convosco o poder de nosso Senhor Jesus Cristo. 5Entreguem esse homem ao poder de Satanás para que, embora o corpo se perca, o seu espírito possa salvar-se no dia em que o Senhor vier. 6Não é boa a vossa satisfação. Não sabem que um pouco de fermento leveda toda a massa? 7Deitem fora o fermento velho, a fim de se tornarem massa para um novo pão; um povo que, à semelhança do pão sem fermento da festa da Páscoa, não sofre de impureza alguma pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, já foi morto. 8Celebremos, portanto, essa festa sem fermento velho, isto é, sem fermento de maldade ou imoralidade, mas com o pão da honestidade e da verdade. 9Disse-vos numa carta para não conviverem com gente que pratica imoralidades sexuais. 10Não me queria referir a todos os que, no mundo, são imorais, gananciosos, ladrões ou adoradores de falsos deuses. Se assim fosse, teriam que fugir deste mundo. 11Queria dizer que não tivessem contacto com aqueles que se dizem crentes e são imorais, gananciosos, adoradores de falsos deuses, caluniadores, bêbedos ou ladrões. Com esses, nem sequer se devem sentar à mesa. 12Com efeito, não me pertence a mim julgar os de fora. Mas é vosso dever julgar os da comunidade. 13É Deus quem julga os de fora. Expulsem o mau do vosso meio.

will be added

X\